AS FOXY RIDERS

4 mulheres, muito diferentes, inconformadas, que se riem das adversidades e que optam sempre pelo caminho menos trilhado. Das nossas estranhezas, das nossas paixões, das nossas fixações nasce as Foxy Riders. Uma nova geração de motociclistas do sexo feminino que encontram inspiração umas nas outras através de um conjunto compartilhado de ideais: a aventura, o companheirismo e a liberdade de percorrer a estrada em cima de uma moto.

12654446_10205717270436568_8079605119849107523_n

MARIA DUARTE

Designer, fotógrafa e relação publicas. Tenho uma enorme paixão por motos e desportos radicais. Amo a forma como me fazem sentir! De tal maneira que o meu veiculo do dia a dia é uma BMW F800 e, para mim, escrevo para a melhor revista de motos portuguesa, a REV Motorcycle Culture, onde tenho a oportunidade única de experimentar novas motos, conhecer novos construtores e viver a minha paixão como forma de vida. A culpa foi do meu pai, que um dia chegou a casa com uma Harley Davidson e eu, miúda dos meus 6 ou 7 anos fiquei apaixonada para toda a vida.

Aos 10 anos comecei a conduzir motos, mas como não tinha a minha, cheguei a “roubar” a moto do meu jardineiro. Por pensar e agir de forma muito própria, percebi muito cedo que sou responsável pela minha felicidade e que normalmente nada tem a ver com o que a sociedade nos incute, ganhei do meu pai a alcunha de “a rebaldeira”. Também porque adoro experimentar novas actividades e testar os meus limites, apesar de ser muito feminina, gosto de muitos desportos que são considerados, desportos ou actividades masculinas. Para mim, preconceitos! Algo que se manteve constante em toda a minha vida, passear de moto por um dia ou mais sem destino, só guiada pelo meu espirito aventureiro, ainda é das minhas coisas preferidas da vida!

Elisabete Foxy

Elisabete Carvalho

Assistente Social, exerce funções de coordenação num Gabinete de Ação Social, de uma autarquia local do distrito do Porto.
Sua Alcunha Betty Butterfly.
Tal como a Borboleta, encara a vida como um processo de Transformação, em que todos os ciclos são uma aventura e uma aprendizagem. Os seus ideais fundamentam-se na felicidade, Amor, Beleza da vida, Aventura, criatividade….
Cresceu numa pequena aldeia do concelho de Barcelos! Na dúvida, a “terra do Galo”.
Conduziu a primeira motorizada (uma casal 2 – de uma tia) aos 12 anos de idade, instruída pelos meus primos e irmão.

O seu irmão (mais velho 2 anos) teve a sua primeira moto (yamaha Dt), quando tinha aproximadamente 14 anos. Sendo a única princesa (rapariga) do grupo (primos e irmão) achava-se com mais direitos de uso do que o proprietário!

As motos sempre estiveram presentes na sua vida, por se assemelhar à Sensação de voo .. liberdade …. adrenalina .. as borboletas na barriga !