Acordei, ouvi a chuva a bater na janela e senti o frio na ponta do nariz. Como era possível, ser a melhor “ride” do ano? A vontade de sair da cama era nula, todavia não queria quebrar a minha palavra. O meu avô sempre me disse, que “quem não tem palavra não tem nada”. Banho quente, roupa que tinha preparado da noite anterior, tudo numa base térmica, comida bem quentinha e pronta para sair de casa. Assim que me sentei na minha Harley, liguei-a, ouvi aquele som e percebi que realmente podia ser “A Melhor Ride Do Ano” já que...